Alunos e servidores da UERJ protestam contra o descaso do governo estadual.

Além da incerteza quanto às aulas, a universidade enfrenta outros problemas, como estado de greve deflagrado pelos professores, com paralisação total prevista para o próximo dia 2, o bandejão da instituição que não funciona por falta de pagamento do Estado à empresa que fornece os alimentos, entre outros.

O Sindicato dos Trabalhadores das Universidades Públicas Estaduais do Rio de Janeiro (SINTUPERJ) está elaborando um dossiê com informações sobre a crise atual do Estado a ser enviado para entidades internacionais como a Organização das Nações Unidas. É o que garante o coordenador geral da organização, Antonio Virgílio Fernandes.

“A gente está em vias de concluir esse documento e encaminhar às diversas organizações internacionais para que vejam o cenário calamitoso que estamos passando. É preciso que o mundo ouça nossa voz e preste atenção neste descaso que o governo do estado, por meio do Pezão, faz conosco. Temos inúmeros servidores que não possuem dinheiro sequer para alimentação. Chegamos no fundo do poço,” lamenta.

De acordo com a Secretaria Estadual de Fazenda, mesmo com a crise financeira que atinge o estado, em 2016, o governo repassou à Uerj 65% de seu orçamento previsto para o ano, no valor de R$ 1,1 bilhão.

Segundo a secretaria, como o salário de dezembro e o 13º salário ainda não foram pagos para a maioria do funcionalismo público do Estado do Rio de Janeiro, encontram-se pendentes de pagamento R$ 212,4 milhões em pessoal, que representam 18,9% do orçamento total da Uerj. Para custeio e investimento, ficaram pendentes de pagamento R$ 83,9 milhões, que representam 7,5% do orçamento total da universidade.

http://agenciabrasil.ebc.com.br/educacao/noticia/2017-01/servidores-e-alunos-da-uerj-fazem-nova-manifestacao-contra-falta-de-verbas